Ter, 09 de julho de 2019, 09:54

TEXTO EM ALUSÃO À FORMATURA DA PRIMEIRA TURMA DO CAMPUS DO SERTÃO
Formatura da Primeira Turma do Curso de Agroindústria

Meus queridos formandos, parecia que este dia não iria chegar, mas, vejam vocês, ele chegou. E aqui estamos reunidos com um único objetivo: agradecer. Esta estrada foi longa, árdua, cansativa e desafiadora. Construímos laços fortes de amizade, afeto e carinho. Demos puxões de orelha quando vimos que seria preciso, pois sabíamos que vocês poderiam mais, que vocês se superariam. Também pegamos na mão de todos vocês. Sim, pelo mesmo motivo das orelhas puxadas. Sabíamos que poderiam mais. Que vocês, mais uma vez, se superariam. E assim, construímos juntos, de mãos dadas e braços estendidos, como previsto pelas metodologias ativas, esta sólida estrada. O ato de agradecer, ainda que deva ser diário, torna-se mais forte em momentos como o que vivenciamos agora. Ao Divino, às nossas famílias, aos amigos, colegas, professores e profissionais que perfizeram esta jornada. Chegou a hora, meus queridos. É tempo de gratidão. Testemunhamos nos últimos dias que a vida é um sopro. Por isso, não desconsiderem as recomendações de aproveitar o nosso maior bem: a vida. Atravessem-na sem medo. Sejam bravos, corajosos, contemplem a beleza do momento presente. Ainda que erremos, estejamos descontentes por um ou outro motivo, não deixem que os aborrecimentos tomem conta do seu eu interior. Respirem. Chorem se preciso. Reergam-se e continuem a caminhar. Aproveito esta oportunidade para homenagear todos os professores do Núcleo de Graduação em Agroindústria, bem como os demais colegas do Campus Sertão da UFS. Oficializo aqui também a minha ETERNA GRATIDÃO pelo convite de ser Paraninfa desta linda turma. Meu coração transborda e transbordará sempre de emoção, daquela mais verdadeira, ao lembrar que estive ao lado de vocês nesse momento tão especial.

Deixo com vocês o discurso do Walt Disney, grande visionário do seu tempo. Assim ele disse: “E assim, depois de muito esperar, num dia como outro qualquer, decidi triunfar… Decidi não esperar as oportunidades e sim, eu mesmo buscá-las. Decidi ver cada problema como uma oportunidade de encontrar uma solução. Decidi ver cada deserto como uma possibilidade de encontrar um oásis. Decidi ver cada noite como um mistério a resolver. Decidi ver cada dia como uma nova oportunidade de ser feliz. Naquele dia descobri que meu único rival não era mais que minhas próprias limitações e que enfrentá-las era a única e melhor forma de as superar. Naquele dia, descobri que eu não era o melhor e que talvez eu nunca tivesse sido. Deixei de me importar com quem ganha ou perde. Agora me importa simplesmente saber melhor o que fazer. Aprendi que o difícil não é chegar lá em cima, e sim deixar de subir. Aprendi que o melhor triunfo é poder chamar alguém de “amigo”. Descobri que o amor é mais que um simples estado de enamoramento, “o amor é uma filosofia de vida”. Naquele dia, deixei de ser um reflexo dos meus escassos triunfos passados e passei a ser uma tênue luz no presente. Aprendi que de nada serve ser luz se não iluminar o caminho dos demais. Naquele dia, decidi trocar tantas coisas… Naquele dia, aprendi que os sonhos existem para tornarem-se realidade. E desde aquele dia já não durmo para descansar, simplesmente durmo para sonhar”.

Profa. Dra. Lília Calheiros de Oliveira Barretto Paraninfa da Turma Bacharelado em Agroindústria Campus do Sertão Universidade Federal de Sergipe


Atualizado em: Ter, 09 de julho de 2019, 10:04